Pela defesa do respeito à liberdade

QUEM SOMOS - INTEGRANTES

Conselho Diretor

Beto de Jesus

Educador, consultor em Educação e Diversidade Sexual para organismos nacionais e internacionais, públicos e privados. Foi um dos fundadores da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, sendo Coordenador da mesma de 1999 a 2002. Atualmente é Presidente do Instituto Edson Neris em São Paulo e Diretor para Região Sudeste da ABGLT - Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais e membro da ILGA – International Lesbian, Gay, Bisexaul, Trans people and Intersex Association. Coordena o Programa “Quero Fazer” sobre ATV – Aconselhamento e Testagem Voluntária Anti-HIV para Gays, HSH (Homens que fazem sexo com Homens) e travestis nos Estados de Pernambuco, Rio de Janeiro, São Paulo e no Distrito Federal. Membro do Conselho Editorial de Católicas Pelo Direito de Decidir.


Edna Roland

Psicóloga com mestrado em psicologia social na Pontifícia Universidade Católica (PUC) de São Paulo. Desde o início da década de 80 participou dos movimentos negros. Criou entidades de valorização das mulheres negras e de combate à discriminação racial, como a organização Coletivo de Mulheres Negras, em 1983, e o Instituto Geledés da Mulher Negra, em 1988, no qual foi coordenadora de saúde e tratou de temas como esterilização e aborto. Tornou-se uma das rincipais lideranças na luta contra o racismo, não só no Brasil como no mundo. Em 2001, foi eleita pelo governo brasileiro para ser a relatora-geral da 3a Conferência Mundial contra o Racismo, a Discriminação Racial, a Xenofobia e a Intolerância Correlata, da ONU, realizada em Durban, na África do Sul. No mesmo ano, assumiu a Coordenação de Combate ao Racismo e à Discriminação Racial da Unesco tendo como missão fomentar discussões em universidades e ONGs para que sugiram políticas públicas que sirvam de modelo aos governos, pressionando-os a promover a igualdade racial. Coordenou a ONG Fala Preta!, que oferece a jovens de bairros periféricos orientação sexual e de cidadania para não se tornarem vítimas de discriminação.

Elza Berquó

Professora Titular da Faculdade de Saúde Pública, da Universidade de São Paulo, Pós-Graduação em Bioestatística pela Columbia University. Membro Fundador e Coordenadora da Área de População e Sociedade do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento-Cebrap, Fundadora do Núcleo de Estudos de População-Nepo, da Universidade Estadual de Campinas, Membro Fundador da Associação Brasileira de Estudos Populacionais - ABEP, Membro da International Union for the Scientific Study Of Population-IUSSP, Membro do Population Association of America-PAA , Membro do Conselho Curador da Fundação Carlos Chagas, Membro da Comissão Consultiva do Censo Demográfico 2000 e do Conselho Técnico - Contec da Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística-IBGE, Vice-Coordenadora da Área Transferência de Conhecimento do Centro de Estudos da Metrópole-CEM, Membro Titular da Comissão Nacional de DST/Aids, do Ministério da Saúde, Membro da Ordem do Mérito Científico - Classe Grã-Cruz, Membro Titular da Academia Brasileira de Ciências e do International Human Dimensions Program-IHDP, da Academia Brasileira de Ciências, Membro da Comissão Nacional de Determinantes Sociais da Saúde - CNDSS, do Ministério da Saúde. Especialista na área de Demografia, com ênfase em Saúde Reprodutiva, atuando principalmente nos seguintes temas: fecundidade, saúde reprodutiva e sexualidade, nupcialidade, envelhecimento, adolescentes, gênero e raça.


Fátima Oliveira

Médica, ex-secretária-executiva da Rede Feminista de Saúde, co-autora de Fundamentos da bioética (Paulus, 1996), orgs. Christian de Paul de Barchifontaine e Léo Pessini; "Tecnologias reprodutivas: gênero e ciência" (Unesp, 1996), org. Lucila Scavone; Ciência e tecnologia em debate (Moderna, 1998), org. Márcia K.; "Questões de Saúde Reprodutiva (Ford/Fiocruz, 1999), orgs. Karen Giffin e Sarah Hawker Costa; Livro da saúde das mulheres negras: nossos passos vêm de longe (Editora Pallas, 2000), org. Evelyn White, Jurema Werneck e Maísa Mendonça; Bioetica y Genética (Ciudad Argentina, 2000), org. José Maria Cantu e Salvador Dario Bergel. Autora de Engenharia genética: o sétimo dia da criação (Moderna, 1995); Bioética: uma face da cidadania (Moderna, 1997); Oficinas Mulher Negra e Saúde (Mazza Edições, 1998); Transgênicos: o direito de saber e a liberdade de escolher (Mazza Edições, 2001); O "estado da arte" da Reprodução Humana Assistida em 2002 e Clonagem e manipulação genética humana: mitos, realidade, perspectivas e delírios (MJ/CNDM, 2002); Saúde da população negra no Brasil em 2001 (OPAS-Brasil, 2002) e A hora do Angelus (Mazza Edições, 2005).


Fernando Pacheco Jordão

Atuou no jornalismo desde 1957, quando iniciou sua carreira na antiga Rádio Nacional, em São Paulo. Posteriormente, trabalhou como repórter, redator e editor de diversos veículos, como O Estado de S. Paulo, TV Excelsior, BBC de Londres, TV Globo, TV Cultura de São Paulo e revistas Isto É e Veja. Como consultor e assessor político, atuou nas campanhas dos governadores Mário Covas e Geraldo Alckmin. É sócio-diretor da FPJ – Fato, Pesquisa e Jornalismo.


Jane Galvão

É doutora em Saúde Coletiva pelo Instituto de Medicina Social/Universidade do Estado do Rio de Janeiro e mestre em Antropologia Social pelo Museu Nacional/Universidade Federal do Rio de Janeiro. De 1988 a 1992, coordenou, no Instituto de Estudos da Religião (ISER), um programa pioneiro que envolvia diferentes religiões no enfrentamento da epidemia de HIV/AIDS. Foi coordenadora geral da Associação Brasileira Interdisciplinar de AIDS (ABIA) de 1993 a 1999. Fez parte do Programa Nacional de AIDS do Ministério da Saúde de 1999 a 2001. De 2001 a 2004, fez pós-doutorado na Escola de Saúde Pública da Universidade da Califórnia, Berkeley, com apoio da Fogarty International AIDS Training Program. De 2002 a 2004, esteve como pesquisadora no Institute for Global Health, em San Francisco.

Atualmente está trabalhando na UNITAID (United Nations Drug Purchase Facility), em Genebra, no portfolio de HIV/AIDS. Entre 2008-2009 trabalhou na International Women's Health Coalition, em Nova York, como Senior Program Officer para HIV/AIDS. Entre 2004-2008, também em Nova York, trabalhou  na International Planned Parenthood Federation/Western Hemisphere Region (IPPF/WHR), como Senior Program Officer para HIV/AIDS, sendo responsável por trabalhos com organizações de saúde sexual e reprodutiva afiliadas à IPPF/WHR na região da América Latina e do Caribe. É autora e co-autora de livros e numerosos artigos sobre AIDS, saúde e direitos humanos, no Brasil e no exterior. Entre eles, destacam-se o texto publicado na revista Lancet sobre acesso a tratamento para AIDS no Brasil e o artigo publicado no American Journal of Public Health sobre acesso a tratamento para HIV/AIDS como um direito humano. Sua tese de doutorado, AIDS no Brasil: a agenda de construção de uma epidemia, foi publicada pela ABIA e Editora 34.


Jacqueline Pitanguy

Socióloga e cientista política, é Coordenadora Executiva da CEPIA – Cidadania, Estudo, Pesquisa, Informação e Ação. A CEPIA é uma ONG fundada em 1990 que trabalha nas áreas de violência, saúde e acesso a justiça com uma perspectiva de gênero e no marco dos direitos humanos. É também Presidente do Conselho Diretor do Fundo Brasil de Direitos Humanos, membro do Conselho Nacional dos Direitos da Mulheres na qualidade de notório saber  e Associada da Action Aid Brasil. No cenário internacional , é Vice Presidente do SID, Society for international Development, integra  o Conselho Diretor da organização Women Learning Partnership (WLP), que trabalha fundamentalmente com mulheres de países islamicos assim como  o Comitê Diretor do Movimento Mundial pela Democracia (WMD). É também membro do Dialogo Inter Americano, organização que acompanha as relações políticas, econômicas e sociais no âmbito das Américas. Presidiu o Conselho  Diretor do Fundo Global para as Mulheres, entidade baseada em San Francisco e que apóia grupos de mulheres em mais de 100 países.


Marco Segre

Possui graduação em Medicina pela Universidade de São Paulo (1957). Atualmente é Professor Emérito da Universidade de São Paulo, Professor Responsável por Disciplina - Creden da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho.Professor da Universidade de Pernambuco e do Centro Universitário São Camilo - Campus Pompeia. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Bioética. Atuando principalmente nos seguintes temas: Investigação de idade, Perícia de investigação de idade, Radiografia do punho e da mão.


Margareth Arilha

Psicóloga, com especialização em Psicanálise pelo Instituto Sedes Sapientiae, mestrado em Psicologia Social pelo Programa de Gênero, Raça e Idade da Pontifícia Universidade Católica, e doutorado pelo Departamento de Saúde Materno-Infantil da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo. Desde a década de 80 tem se destacado por suas atuações nas áreas de políticas públicas de saúde, gênero e direitos sexuais e reprodutivos, atuando em organizações governamentais e não-governamentais, consultorias, assim como em projetos de pesquisa e intervenção. Membro-fundadora da ECOS, Estudos, Comunicação e Sexualidade, tendo desenvolvido em especial a área de trabalho em gênero e masculinidades. Membro do Conselho Nacional de Saúde, onde coordenou a Comissão Interinstitucional de Saúde da Mulher. Nos últimos anos trabalhou em UNFPA – Fundo das Nações Unidas para Assuntos de População, no México, na qualidade de assessora regional em Políticas de Saúde Reprodutiva, Gênero e Direitos. Foi uma das fundadoras da Comissão de Cidadania e Reprodução (CCR), durante a década de 90, atuando como secretária - executiva durante largo período fortalecendo projetos de intervenção na mídia. Atualmente é Diretora Executiva e membro do Conselho Diretor da Comissão de Cidadania e Reprodução.


Maria Betânia de Melo Ávila

Socióloga, com especialização na Universidade de Sorbonne, Paris, vem se dedicando nas últimas duas décadas a pesquisas nas áreas de saúde da mulher, direitos reprodutivos e direitos sexuais. É fundadora e coordenadora geral do SOS Corpo - Gênero e Cidadania. Também fundadora da Rede Nacional Feminista de Saúde e Direitos Reprodutivos. Publicou recentemente "Cidadania e Transformação Social", in Ávila, Maria Betânia (Org.), Textos e Imagens do Feminismo; Mulheres Construindo a Igualdade", Recife, Ed. Bagaço, 2001.


Richard Parker

Antropólogo, professor e chefe do Departamento de Ciências Sociomédicas e diretor do Centro de Gênero, Sexualidade e Saúde na Escola de Saúde Pública da Universidade de Columbia em Nova York/USA, e diretor-presidente da Associação Brasileira Interdisciplinar de AIDS (ABIA) no Rio de Janeiro/Brasil. Seu trabalho investiga a construção social e cultural de gênero e sexualidade, as dimensões sociais do HIV e Aids, e a relação entre desigualdade social, saúde e doença. É autor de diversos livros, entre eles Corpos, Prazeres e Paixões: Cultura Sexual no Brasil Contemporâneo (São Paulo: Editora Best Seller, 1991), A Construção da Solidariedade: AIDS, Sexualidade e Política no Brasil (Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1994), Na Contramão da AIDS: Sexualidade, Intervenção, Política (Rio de Janeiro: ABIA, e São Paulo: Editora 34, 2000), Abaixo do Equador: Culturas do Desejo, Homossexualidade Masculina e Comunidade Gay no Brasil (Rio de Janeiro: Editora Record, 2002). É Editor-Chefe da revista científica Global Public Health: An International Journal for Research, Policy and Practice publicada pela Editora Routledge de Londres.


Roberto Arriada Lorea

Juiz de Direito Titular do Juizado da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, em Porto Alegre, RS. Doutor em Antropologia Social (UFRGS). Diretor do Departamento de Promoção da Cidadania e Direitos Humanos, da Associação dos Juízes do Rio Grande do Sul, AJURIS. Coordenador do Núcleo de Estudos em Direito e Religião, na Escola Superior da Magistratura. Pesquisador na temática de Cidadania Sexual e Laicidade.


Silvia Pimentel

É jurista, e há mais de 30 anos é professora de Filosofia do Direito na PUC-SP. Iniciou sua militância no movimento de mulheres nos anos 70, participando e promovendo inúmeras iniciativas no campo dos direitos sexuais e reprodutivos, e direitos humanos. Participou do IWRAW nas décadas de 80-90. Atualmente é presidente do Comitê CEDAW, da Organização das Nações Unidas, que fiscaliza o cumprimento da Convenção sobre Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra a Mulher. Conselheira do Comitê Latino-Americano e do Caribe para Defesa dos Direitos da Mulher (Cladem). Têm mais de dez livros publicados na área dos Direitos da Mulher. Teve participação decisiva na revisão do Código Civil.


Sonia Corrêa

Arquiteta com especialização em antropologia. Fundadora do primeiro grupo feminista do Nordeste (Ação-Mulher) e depois da ONG SOS-Corpo Instituto Feminista para a Democracia (Recife). É pesquisadora associada da ABIA, Associação Brasileira Interdisciplinar de AIDS, e coordenadora de dois projetos globais: o programa de Direitos e Sexuais e Reprodutivos da Rede DAWN (uma articulação feminista dos países em desenvolvimento que existe desde 1984) e o Observatório de Sexualidade e Política (co-cordenadora com Richard Parker). Desde 1992 acompanhou de perto as conferências da ONU que trataram de temas relacionados a gênero e desenvolvimento: Rio 92, Cairo, 1994, Copenhague 1995, Pequim 1995, assim como processos de revisão de cinco e dez anos dos programas de ação adotados no Cairo e em Pequim. Em 2006 compôs o painel de especialistas que elaborou os Princípios de Yogyakarta sobre Orientação Sexual, Identidade de Gênero e Direitos Humanos. Algumas de suas publicações: “Sexual and Reproductive Rights from the Feminist Perspective" (with Rosalind Petchesky). In. G.Sen, A. Germain. L. Chen (ed). Population Policies Re- Considered; Heath Empowerment and Rights, Harvard School of Public Health. Cambridge, 1994. Sexualidade e política na América Latina (com Richard Parker). ABIA, Rio de Janeiro.2003. “Aborto na Cena Política Global”. In Toques de Saúde n. 4. João Pessoa,2005.


Tania Di Giacomo do Lago

Possui graduação em Medicina (1980) e residência em Medicina Social (1983) pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, mestrado em Pesquisa em População pela University of Exeter (1985), doutorado em Demografia pela Universidade Estadual de Campinas (2004). Atualmente é Professora Assistente da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, Assessora Técnica da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo e Pesquisadora do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento. Tem experiência no campo das políticas públicas em saúde, com ênfase em Saúde da Mulher, atuando como gestora pública, pesquisadora e ativista. Foi Coordenadora da Área Técnica de Saúde da Mulher no Ministério da Saúde e na Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo. Dentre os produtos de pesquisa, destacam-se avaliações de programas de atenção à saúde da mulher, em particular, no âmbito da assistência à gestação e parto, à contracepção e do controle do câncer de colo uterino.



ASSUNTOS MAIS PROCURADOS

JUNTE-SE A NÓS

SAIBA MAIS